Posted on

Charter para Ilha Grande

BY: Mauricio Duarte / 0 COMMENTS / CATEGORY: Blog Veleiros Thalassa

Esta última semana, fiz um charter para a Ilha Grande com 4 hóspedes a bordo. Eram empresários aqui do interior de São Paulo, da região de Itu. Queriam conhecer a Ilha Grande e praticar Vela, entre outros interesses.

Saímos de Paraty no meio da tarde, já com destino a Ilha Grande, baía do Sítio Forte. Até que pegamos um ventinho bom durante mais ou menos metade do percurso; a outra metade, fizemos a motor.  Na verdade, Ilha Grande não é tão distante de Paraty. São 4 a 5 horas de navegação. E em um veleiro, dá para desfrutar bastante o tempo passado nessas travessias, principalmente se for à vela.

Chegamos ao anoitecer. Primeira noite a bordo. 5 pessoas a bordo do Thalassa. No início todos estranham. No quarto dia, o barco parece grande demais e já entramos na rotina do mar: acordamos com o sol que entra no veleiro, o balanço do mar já é imperceptível.

Velejamos muito, visitamos a Lagoa Azul com quase nenhuma escuna de turismo, fomos conhecer uma criação de beijupirá e de vieiras, muito interessante, e fomos pernoitar no Saco do Céu.

No Saco do Céu, ao início da noite, muitos peixes se aproximaram do barco. Peixes grandes! Até robalo tinha! Mas não havia forma de pescá-los. Então entramos na água, já escuro, e fomos caçar alguns com o arpão, com uma pessoa no veleiro iluminando o mar. E a janta esteve garantida! Peixe na churrasqueira com legumes grelhados

Dia seguinte, fomos conhecer a Vila do Abraão e fomos devagar até a enseada de Palmas, no norte da Ilha Grande. Lá, fomos super bem recebidos pelo Andrés, que tem um restaurante flutuante, prepara ótimos petiscos e uma excelente caipirinha.  Ainda deu para entrar no mar. Esse lugar (baía de Palmas) é realmente muito bonito.

Dia seguinte, trilha para conhecer a praia de Lopes Mendes, seguramente uma das praias mais bonitas da região. O tempo estava lindo, céu aberto, temperatura amena. Final da tarde ainda fomos mergulhar e retornamos à vela para o Saco do Céu, com o Gennaker, que velejada espetacular! Pessoal já estava safo, depois de uns “pegas, as manobras com o Gennaker já saiam perfeitas. E olha que não é uma vela assim tão simples de lidar…

O cardápio da noite foi Paëlla.  Isso mesmo, feita na cozinha do Thalassa! E saiu muito boa. Sobremesa: banana da terra frita na manteiga, com canela e um fio de creme de leite. Acompanhou um bom vinho branco. E uma ótima conversa no cock-pit do veleiro. Ótimos momentos!

Dia de retorno a Paraty. Ventinho de 10-12 nós aparente, velejada no contravento. O Thalassa chegou a 6.3 nós na orça fechada (ângulo de 30 graus contra o vento). Espetacular! E ainda puxando o botinho a reboque.  Depois o vento ficou meio biruta, como muitas vezes ocorre, e fizemos o final do percurso a motor.

Ah! Ainda tivemos tempo de passar no sul da Ilha para conhecer a Prainha dos Meros, lindo lugar.

Foi um prazer receber essa tripulação simpática e participativa a bordo do veleiro. Quantos coisas fizemos e quantos lugares conhecemos nesses 4-5 dias!

gennaker Palmas

 

 

 

 

 

 

 

 

Posted in Blog Veleiros Thalassa