Posted on

Charter para Ilha Grande

BY: Mauricio Duarte / 0 COMMENTS / CATEGORIES: Blog Veleiros Thalassa

Esta última semana, fiz um charter para a Ilha Grande com 4 hóspedes a bordo. Eram empresários aqui do interior de São Paulo, da região de Itu. Queriam conhecer a Ilha Grande e praticar Vela, entre outros interesses.

Saímos de Paraty no meio da tarde, já com destino a Ilha Grande, baía do Sítio Forte. Até que pegamos um ventinho bom durante mais ou menos metade do percurso; a outra metade, fizemos a motor.  Na verdade, Ilha Grande não é tão distante de Paraty. São 4 a 5 horas de navegação. E em um veleiro, dá para desfrutar bastante o tempo passado nessas travessias, principalmente se for à vela.

Chegamos ao anoitecer. Primeira noite a bordo. 5 pessoas a bordo do Thalassa. No início todos estranham. No quarto dia, o barco parece grande demais e já entramos na rotina do mar: acordamos com o sol que entra no veleiro, o balanço do mar já é imperceptível.

Velejamos muito, visitamos a Lagoa Azul com quase nenhuma escuna de turismo, fomos conhecer uma criação de beijupirá e de vieiras, muito interessante, e fomos pernoitar no Saco do Céu.

No Saco do Céu, ao início da noite, muitos peixes se aproximaram do barco. Peixes grandes! Até robalo tinha! Mas não havia forma de pescá-los. Então entramos na água, já escuro, e fomos caçar alguns com o arpão, com uma pessoa no veleiro iluminando o mar. E a janta esteve garantida! Peixe na churrasqueira com legumes grelhados

Dia seguinte, fomos conhecer a Vila do Abraão e fomos devagar até a enseada de Palmas, no norte da Ilha Grande. Lá, fomos super bem recebidos pelo Andrés, que tem um restaurante flutuante, prepara ótimos petiscos e uma excelente caipirinha.  Ainda deu para entrar no mar. Esse lugar (baía de Palmas) é realmente muito bonito.

Dia seguinte, trilha para conhecer a praia de Lopes Mendes, seguramente uma das praias mais bonitas da região. O tempo estava lindo, céu aberto, temperatura amena. Final da tarde ainda fomos mergulhar e retornamos à vela para o Saco do Céu, com o Gennaker, que velejada espetacular! Pessoal já estava safo, depois de uns “pegas, as manobras com o Gennaker já saiam perfeitas. E olha que não é uma vela assim tão simples de lidar…

O cardápio da noite foi Paëlla.  Isso mesmo, feita na cozinha do Thalassa! E saiu muito boa. Sobremesa: banana da terra frita na manteiga, com canela e um fio de creme de leite. Acompanhou um bom vinho branco. E uma ótima conversa no cock-pit do veleiro. Ótimos momentos!

Dia de retorno a Paraty. Ventinho de 10-12 nós aparente, velejada no contravento. O Thalassa chegou a 6.3 nós na orça fechada (ângulo de 30 graus contra o vento). Espetacular! E ainda puxando o botinho a reboque.  Depois o vento ficou meio biruta, como muitas vezes ocorre, e fizemos o final do percurso a motor.

Ah! Ainda tivemos tempo de passar no sul da Ilha para conhecer a Prainha dos Meros, lindo lugar.

Foi um prazer receber essa tripulação simpática e participativa a bordo do veleiro. Quantos coisas fizemos e quantos lugares conhecemos nesses 4-5 dias!

gennaker Palmas

 

 

 

 

 

 

 

 

Posted on

Um passeio incrível

BY: Mauricio Duarte / 0 COMMENTS / CATEGORIES: Blog Veleiros Thalassa

Nesse feriado recebi a bordo 2 moças e 3 crianças e foi um dos melhores passeios que já fiz desde que comecei a fazer charters. Os meninos eram super educados e suas mães, pessoas muito legais.

O passeio começou logo cedo, umas 9.30hs e terminou depois das 23.00hs.  Passamos na Ilha Comprida para ver e nadar junto com os peixinhos. Estivemos no Mamanguá e depois fomos para a Praia Grande de Cajaíba, que realmente é um lugar fantástico: as crianças adoraram nadar na lagoa de água doce que margeia a praia (a água é mais quentinha). Também fomos até a cachoeira. Os pitus (camarõezinhos de água doce) subiam nos nossos pés. E comemos o delicioso pastel da Dona Dica.  O tempo esteve ótimo.

Depois preparamos uma bela refeição a bordo: macarrão com brócolis, ratatouille ao forno (com mel e temperos) e postas de robalo na churrasqueira.

Anoiteceu durante o percurso de regresso a Paraty e deu para velejar durante uma parte. Velejar à noite é uma experiência diferente. Só estando lá para sentir como é.

Chegando em Paraty, ancoramos na frente da cidade para mais uma refeição no cock-pit, à luz de vela e com a vista da cidade iluminada à noite. Temperatura: 23 graus !

Excelente passeio com essa tripulação sempre alegre e muito corajosa!

Vou divulgar mais esse formato de passeio, um Full Day Charter! Uma experiência diferente.

 

Posted on

Golfinhos !

BY: Mauricio Duarte / 0 COMMENTS / CATEGORIES: Blog Veleiros Thalassa

Ontem fizemos a travessia Paraty – Abraão (Ilha Grande) e encontramos muitos golfinhos bem no meio da baía. Eles se aproximaram e brincaram na proa do veleiro, apostando corrida, por assim dizer. Muito bonito ver esses animais. Alguns deles são enormes, devem medir uns 3 metros, talvez mais.

O vídeo que fiz mostra melhor a festa que os golfinhos fizeram. Coloquei no YouTube se você quiser assistir (canal Veleiros Thalassa).
IMG_20181105_144237651

Posted on

Pescaria com crianças

BY: Mauricio Duarte / 0 COMMENTS / CATEGORIES: Blog Veleiros Thalassa

Este último fim de semana tive uma experiência muito interessante levando uma família para um Day Charter. Aliás, uma família onde todos são muito simpáticos.

Havia 2 jovens (8-12 anos). Lá pela metade do passeio, quando eles estavam já meio cansados de entrar no mar – e água não estava assim quente… – propus a eles pescar. Eles toparam. Mas não havia isca! Então usamos presunto e mussarela…  E deu certo !!!

Foi super divertido.  Pegamos umas cocorocas, nada que prestasse para comer e, lógico, devolvemos ao mar.

Super interessante ver como pescar é uma atividade lúdica que as crianças – e jovens – podem gostar. E como é legal pescar quando estamos embarcados.

Sempre gostei de pescar (e de caça submarina). Ao navegar mais de 20 anos por aqui, conheço alguns lugares bons (ou médios, porque os peixes estão escassos). A pesca é uma atividade que explica muito bem o jeito tranquilo e corajoso dos caiçaras. Pescar é igual caçar, com certeza é um instinto, e talvez esteja mais à flor da pele das crianças.

Em breve postarei algumas fotos legais desses divertidos momentos de pescaria.

Henrique F - 1_menor Henrique F - 2_menor

Posted on

Pão de Açucar – Mamanguá

BY: Mauricio Duarte / 0 COMMENTS / CATEGORIES: Blog Veleiros Thalassa

Mamangua Pao de AcucarEsse fim de semana o passeio foi com meu filho e seus colegas da Poli-Usp. O vento esteve muito bom, do quadrante leste e com boa intensidade (12-17 nós). Os meninos subiram o Pão de Açucar, no Mamanguá. Essa é sem dúvida uma das vistas mais bonitas da região. Para escalar este pico leva “apenas” 45-50 minutos. A subida é bem íngreme, faz calor e a umidade é alta. Mas ao final vale a pena.

Posted on

Golfinhos

BY: Mauricio Duarte / 0 COMMENTS / CATEGORIES: Blog Veleiros Thalassa

Clientes de Brasília

Há muitos golfinhos na baía de Paraty. Porém, nos períodos de férias e nas datas comemorativas, quando o tráfego de escunas de turismo, lanchas e veleiros aumenta muito, os golfinhos não aparecem muito.
Pois neste começo de ano, com toda esta movimentação no mar, nós vimos golfinhos !!! Exatamente na costa da Ilha do Araújo, no triângulo formado por essa ilha com as ilhas da Rapada e do Ventura. Isto não é segredo, todos sabemos que os golfinhos adoram ficar por lá.
Em um passeio com uma família de Brasília – aliás, eles eram muito simpáticos – eu comentei com as 2 filhas do casal que talvez desse para ver golfinhos, mas que não era certeza… E nós vimos vários !
Aqui vai a dica: para ver golfinhos, o principal é ficar atento. Sim! Porque os golfinhos não vêm saltar na sua frente… Você precisa avistá-los primeiro, quando saem para respirar.
Ficando atento, você também pode ver tartarugas e peixes voadores. Para mim, ficar atento ao que acontece no mar é um hábito. Provavelmente um hábito que a gente desenvolve mais quando navega. E olha que serve em terra também…

Posted on

Ninho de Gaivotas

BY: admin / 0 COMMENTS / CATEGORIES: Blog Veleiros Thalassa

gaivota-blogÉ muito raro um fim de semana no mar sem ver alguma coisa diferente.

Neste fim de semana vimos um ninho de gaivota com 2 filhotes. O local: uma pedra cercada por água por todos os lados, um lugar totalmente exposto às intempéries, com risco dos filhotes caírem dentro do mar e totalmente visível para predadores. Mas o predador tinha que chegar lá, e só voando mesmo…  Vimos várias aves tentarem se aproximar dos filhotes, mas o macho e a fêmea gaivota se revezavam e defendiam o ninho o tempo todo.

A gaivota deve ter feito uma boa análise de risco antes de escolher o lugar do ninho, pois os filhotes já estavam bem grandinhos.

gaivota-blog-2